Quarta-Feira, 23 de Abril de 2014
Telex Free é investigada pelo Ministério Público de Mato Grosso e Procon em todo o Brasil. Veja como funciona:
Por: Redação Radar Urgente / Gustavo ATS / MT Notícias  em  01/02/2013 | 16:36
O Ministério Público de Mato Grosso‚ através da promotora de justiça de Lucas do Rio Verde‚ abre inquérito para investigação da empresa que representa a TelexFree no Brasil. Recentemente o PROCON do Acre anunciou o envio de denúncias à Polícia Federal‚ Ministério Público Estadual e a Secretaria de Fazenda em razão de “indícios de crimes” relacionados à atuação da empresa TelexFree naquele Estado. 
 
Em entrevista a Tv Rio Verde (Rede Record) de Lucas (Veja vídeo na capa do site)‚ a promotora revela que a empresa oferece risco aos consumidores‚ “Essas pessoas estão expostas‚ estão sendo lesadas. Eu instaurei um inquérito civil na Secretaria de Justiça‚ exatamente por causa desse risco de lesão aos consumidores”‚ explica a promotora.

Entenda melhor com a explicação abaixo:

Um número cada vez maior de consumidores procura o Procon para solicitar informações sobre a empresa Telexfree e sua legitimidade. No momento a Telexfree indica um grande crescimento no estado e após observação do funcionamento da empresa‚ foram detectados indícios de crimes. Como resultado o órgão encaminhou denúncia ao Ministério Público Estadual‚ à Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda e à Polícia Federal.

O inquérito civil instaurado pela promotoria de Defesa do Consumidor (nº 01/2013) mostra diversos pontos controversos e os possíveis crimes que colocam o consumidor em risco na hora de aceitar este tipo de negócio. Dentre as possibilidades‚ há uma infração na Lei Federal nº 1.521/51 art. 2º‚ onde diz que é crime: “Obter ou tentar obter ganhos ilícitos em detrimento do povo ou de número indeterminado de pessoas mediante especulações ou processos fraudulentos (‘bola de neve’‚ ‘cadeias’‚ ‘pichardismo’ e quaisquer outros equivalentes)”‚ incluindo a Pirâmide de Ponzi.

Há também a possível violação no Código de Defesa do Consumidor (CDC)‚ com: propaganda enganosa‚ omissão de informações de produtos e empresa‚ abuso da fraqueza ou ignorância do consumidor‚ condições de desvantagem exagerada‚ dentre outros. A preocupação do Procon é esclarecer para a população o grande risco existente (quando um cidadão aceita participar desta rede)‚ evitar que consumidores sejam lesados e fazer com que a empresa se explique diante dos órgãos competentes.

Entenda a pirâmide de Ponzi:

Embora sistemas semelhantes a este já existissem anteriormente‚ o nome deste esquema é devido ao italo-americano Charles Ponzi‚ autor de uma gigantesca fraude na década de 1920‚ a qual conseguiu ter maiores repercussões do que outras fraudes anteriores.
Charles Ponzi era um emigrante italiano‚ que se crê ter chegado aos Estados Unidos na década de 1910. De muito baixos recursos‚ como a maior parte dos emigrantes que chegavam a esse país‚ “descobriu” pouco tempo depois da chegada e graças a correspondência que recebeu de Espanha que os selos de resposta de correio internacional podiam ser vendidos nos Estados Unidos mais caros do que no estrangeiro e esse tipo de negócio acabaria por produzir lucros. Assim começou o rumor e muitas pessoas não quiseram ficar fora do negócio e entregaram capitais a Ponzi.

Mas embora Ponzi estivesse a recolher somas astronômicas de dinheiro‚ e houvesse filas para lhe entregar mais‚ na realidade não comprou selos. Pagava rendimentos de até 100% em três meses‚ com o capital dos sucessivos novos investidores.

Ponzi convenceu amigos e parceiros do novo negócio a apoiarem o seu sistema no início‚ oferecendo um retorno de 50% num investimento a 45 dias. Algumas pessoas investiram e obtiveram o prometido no intervalo temporal combinado. O esquema alargou-se‚ e Ponzi contratou agentes‚ pagando generosas comissões por cada dólar que pudessem trazer. Em Fevereiro de 1920‚ Ponzi obteve cerca de 5000 dólares americanos‚ uma grande quantia nesse tempo.

Em Julho de 1920 já tinha milhões de dólares. Muitas pessoas venderam ou hipotecaram as suas casas com a esperança de ganhar quantias muito grandes. No dia 26 de Julho grande parte do esquema começou a colapsar depois de o Boston Post questionar as práticas da empresa de Ponzi. Finalmente a empresa foi intervencionada pelo estado que congelou todas as novas captações de dinheiro.

Em Agosto de 1920 os bancos e meios de comunicação declararam Ponzi em bancarrota. Este confessou que em 1908 tinha sido participante de uma fraude muito parecida no Canadá‚ que oferecia aos investidores grandes rendimentos.

O governo federal dos Estados Unidos interveio finalmente descobrindo a megafraude‚ e Ponzi foi detido mas teve que ser liberto pois pagou a fiança. Decidiu continuar com o seu sistema‚ convencido que o poderia sustentar. Rapidamente o sistema caiu e os aforristas perderam o seu dinheiro. A maior parte das pessoas não obteve benefícios‚ e muitos dos quais reinvestiram o seu dinheiro na fraude. Ponzi‚ embora tenha sido enviado de volta para Itália e apesar de se descobrir a fraude‚ foi aclamado por muitos como um beneficente.

Hoje este tipo de operação continua sendo aplicada em esquemas como o “ganhe dinheiro na internet” e no setor imobiliário brasileiro disfarçado de “compre na planta”‚ ou ainda Marketing Multi Nível (MMN)‚ prometendo lucros de até 40% aos investidores.

O sistema Ponzi degenera sempre em bancarrota‚ já que a maioria esmagadora dos investidores perde todo o seu dinheiro. As características típicas da propaganda para recrutar novos investidores são:

- Promessa de altos rendimentos a curto prazo.
- Obtenção de rendimentos financeiros que não estão bem documentados.
- Dirigido a um público não financeiramente esclarecido.
- Um único promotor ou uma única empresa.
- Falta de Produto à ser consumido.
- Movimentação apenas de dinheiro.

Nenhum vinculo com Leis Trabalhistas e de Arrecadação de Impostos Federais.
Torna-se evidente que o risco de investimento nas operações que fazem uso desta prática é elevadíssimo. O risco é cada vez mais alto ao crescer o número de subscritores‚ já que cada vez se vai tornando mais difícil encontrar novos seguidores. Estima-se que 80% a 90% das pessoas que investem nesse tipo de esquema tem algum ganho inicial mas os prejuízos vem logo em seguida.

Em muitos países‚ esta prática é considerada crime contra o sistema financeiro.

ESQUEMA DE MADOFF

Bernard Madoff‚ graças ao seu currículo e reputação no mundo financeiro‚ pessoas ricas pego investimentos que oferecem altos rendimentos (10% aa). Acreditava que o capital investido em produtos financeiros‚ como ações‚ derivativos‚ etc … Mas a realidade era bem outra. Ele usou o dinheiro que ia para pagar suas dívidas ex-clientes. Graças aos retornos oferecidos sua reputação cresceu entre esses investidores‚ até mesmo conseguir captar como clientes grandes bancos de investimento.  Em 2010 o esquema de Madoff foi denunciado como um dos responsáveis pela crise econômica mundial.

Como funciona a Piramide Clássica:



No esquema de piramide clássica‚ diferentemente do esquema de Ponzi‚ o objetivo é gerar lucro recrutando uma quantidade exponencial de pessoas.  função de cada novo participante é sinteticamente: dar dinheiro para os golpistas/recrutadores.

O nome do esquema deriva da forma da pirâmide que é um triângulo tridimensional‚ ou seja um sólido com a ponta fina e a base grande.
Se o esquema prever que cada pessoa encontre 6 novos participantes e a pirâmide começar com uma pessoa no topo‚ teremos 6 pessoas debaixo dela e 36 debaixo deles e 216 debaixo deles etc … a pirâmide terá mais da inteira população da terra depois de 10 andares (ou níveis)‚ com um único golpista no topo.

Os esquemas a pirâmide funcionam porque as pessoas são gananciosas e a ganância tem efeitos inacreditáveis sobre a racionalidade e a capacidade de pensar do ser humano.

Para uma pessoa que deseja fazer muito dinheiro com um pequeno investimento e em pouco tempo‚ o pensamento “esperançoso” toma conta onde a crítica objetiva deveria entrar. As esperanças viram fatos. Os céticos viram idiotas que não entendem nada. Os desejos e esperanças viram realidade. Fazer perguntas esclarecedoras parece pouco educado e amigável.

Os golpistas sabem como a ganância funciona e tudo o que precisam é um primeiro fraudador para que as coisas comecem.

No Brasil‚ diferentemente de outros países‚ os esquemas piramidais não tipificam automaticamente um crime por não existir uma lei específica. Em alguns casos‚ porém‚ dependendo de vários fatores‚ esquemas piramidais podem tipificar um crime contra a economia popular (Lei 1521/51).

Economias quebradas

Tanto os esquemas Ponzi quanto os esquemas de piramide clássicas foram responsáveis pela quebra de vários países.  O caso mais relevante é o da Albânia‚ um pequeno país do leste europeu onde entre um sexto e um terço da população tenham entrado no golpe‚ o que gerou quebra-quebra literalmente. Os “acionistas” revoltaram quebraram tudo o que viam pela frente‚ no desespero de não conseguir reaver o capital investido.

Ponzi e Madoff foram consideradas peças chaves para as depressões de 1920 e 2010 respectivamente.

Outras Fontes: Wikipedia


Fonte: Redação Radar Urgente / Gustavo ATS / MT Notícias
envie seu comentário
Total de Comentário(s):  (1)
Nome:
Bairro
Cidade:
UF
Email:
Comentário:
fabio disse:
Sexta-Feira, 01 de Fevereiro de 2013 ás 17:09:04
materia "muito boa", faz-se muita força no sentido de derrubar um sistema onde até agora não vi nenhuma pessoa sendo lesada, vale ate mesmo fazer uma reportagem pesquisando-se na wikipedia!!! fala serio!!
mais lidas
Ver todos
enquete
Quem é o favorito para ganhar a Copa 2014?
  Brasil
  Espanha
  Alemanha
  Itália
  Argentina
  França
  Uruguai
  Inglaterra
  Outra

© Copyright 2014 Radar Urgente.
Todos os direitos reservados.